Um bom currículo jovem aprendiz pode ser seu passaporte para o mercado de trabalho! Porém, é normal ficar em dúvida sobre o que colocar (ou não) no documento, para aumentar as chances de conseguir uma vaga.

Publicidade

Não se preocupe: vamos explicar como fazer um currículo excelente ao longo do artigo!

As vagas de jovem aprendiz (ou menor aprendiz) não exigem experiência e são direcionadas a pessoas entre 14 e 24 anos.

Publicidade

Os aprendizes têm direito a carteira assinada e demais benefícios trabalhistas, mas cumprem uma jornada de trabalho reduzida, para não prejudicar os estudos.

Veja a seguir como fazer um currículo para menor aprendiz excelente e conheça alguns erros comuns que você precisa evitar, se quiser ter sucesso nos processos seletivos!

Currículo Jovem Aprendiz: Veja como fazer!

O que precisa ter um currículo jovem aprendiz

Conheça os campos que um currículo de jovem aprendiz deve conter e como preencher corretamente cada um:


1 – Informações pessoais

  • Nome completo (deve ficar em destaque, no início do currículo);
  • Endereço;
  • Telefones de contato;
  • E-mail (é interessante criar uma conta somente para uso profissional);
  • Data de nascimento;
  • Estado civil.

2 – Objetivo

O objetivo se refere ao cargo ou área na qual você pretende atuar na empresa. Sendo assim, coloque “Jovem aprendiz” (sem aspas, claro) no campo objetivo.

3 – Qualificações

Aqui você deve incluir informações relevantes que demonstrem que você está capacitado para a vaga, como:

  • Conhecimentos em informática;
  • Nível avançado em algum idioma;
  • Desenvoltura para apresentações em público;

O resumo de qualificações deve ter, no máximo, dez linhas e não é obrigatório em um currículo de jovem aprendiz. Sendo assim, você decide se deve colocar ou não esse campo.

4 – Formação

Nesse campo você deve informar sua escolaridade, ou seja, se está cursando ou já terminou o ensino fundamental, médio ou superior.

Coloque o tipo de formação, nome da instituição (colégio ou faculdade) e ano de conclusão (caso ainda esteja cursando, coloque o ano previsto).

Veja dois exemplos:

Exemplo 01

Ensino Médio

Colégio Estadual Monteiro Lobato

Ano de conclusão: 2020

Exemplo 02

Bacharelado em Ciências Contábeis

Universidade Veiga de Almeida

Ano de conclusão: 2020

Se você fez ou faz um curso técnico, integrado ou não ao ensino médio, coloque no nesse campo também. Já os cursos complementares entrarão no próximo campo.

5 – Cursos

Nesse campo você pode incluir cursos de qualificação profissional, informática e idiomas. Informe o nome de cada curso, a instituição onde foi realizado, mês e ano de conclusão.

6 – Experiência

Se você está buscando o primeiro emprego como jovem aprendiz, provavelmente não tem experiência formal.

Porém, você também pode incluir nesse campo experiência informais, como trabalho o trabalho em um negócio familiar, empregos temporários e trabalho por conta própria.

De qualquer forma, conforme mencionamos, as vagas de menor aprendiz não exigem experiência.

Portanto, você nem precisa colocar esse campo no seu currículo, caso não tenha nenhuma experiência de fato para incluir.

7 – Atividades Extra-curriculares

Esse campo é muito importante em um currículo de primeiro emprego ou jovem aprendiz.

Pois, a partir das atividades extracurriculares, você demonstra ser uma pessoa proativa, característica muito valorizada pelos recrutadores. Aqui você pode incluir:

  • Trabalhos voluntários;
  • Participação em organização de eventos (comissão de formatura, por exemplo);
  • Prêmios e menções honrosas recebidos no colégio (vencedor do concurso de redação 2019, por exemplo);
  • Participação em palestras e eventos como ouvinte.

Em todos os casos, informe o nome da atividade, data de realização e local.

Currículo menor aprendiz: erros a evitar

Depois de saber o que colocar no seu currículo, é hora de conhecer alguns erros comuns, para não correr o risco de cometê-los!

currículo jovem aprendiz

Erros de português

Erros de português passam uma péssima impressão aos recrutadores e podem eliminar seu currículo de primeira. Por isso, dê uma boa revisada no documento antes de imprimir ou enviar pela internet, combinado?

Informações falsas

Não adianta tentar “turbinar” o currículo com experiências ou conhecimentos que você na realidade não tem.

Afinal, qualquer mentira poderá ser descoberta nas próximas etapas do processo seletivo, eliminando suas chances de conseguir a vaga! Então, seja sempre honesto ao elaborar seu currículo, assim como nas entrevistas.

Excesso de informações pessoais

Não é necessário acrescentar os números de documentos pessoais, como RG e CPF, no currículo.

Hobbies e características genéricas como “criatividade” e “bom relacionamento interpessoal” também não devem entrar. Referências pessoais, pretensão salarial e foto, apenas se forem solicitados no anúncio da vaga.

Formatação inadequada

Nada de texto colorido, bordas, molduras, imagens ou gravuras no currículo. Uma formatação limpa e objetiva deixa seu CV mais agradável de ler e passa credibilidade.

Portanto, utilize fontes “tradicionais”, como Times New Roman e Arial. O tamanho da fonte pode ser de 9 a 11, e 12 a 14 nos campos de destaque. Lembrando, que o currículo deve conter somente uma página.

Saiba mais sobre o jovem aprendiz

A Lei 10097/2000, conhecida como Lei da Aprendizagem, determina que todos os estabelecimentos devem ter no mínimo 5% de aprendizes em seus quadros de funcionários.

Essa Lei visa, portanto, facilitar a entrada dos jovens no mercado de trabalho.

Todavia, diferente do que muitos pensam, o jovem aprendiz não é um programa do governo federal.

As próprias empresas são responsáveis por selecionar os candidatos para as vagas, sempre respeitando o que a legislação determina.

Os contratos de aprendizagem têm duração máxima de dois anos e o aprendiz tem direito ao salário mínimo-hora, além de FGTS, vale transporte e férias do emprego compatíveis com as férias escolares (no caso de menores de 18 anos).

Contudo, aqueles que ainda não concluíram o ensino fundamental devem cumprir uma jornada de trabalho reduzida, de 6 horas diárias.

Quem pode ser jovem aprendiz?

A princípio, é necessário apenas ter entre 14 e 24 anos e estar cursando, pelo menos, o ensino fundamental.

Porém, as empresas podem fixar outros critérios, como estar cursando o ensino médio ou ser membro de família de baixa renda, por exemplo.



Confira todos os requisitos para ser um jovem aprendiz aqui!

Conclusão – Currículo Jovem Aprendiz

Depois de saber como fazer um currículo jovem aprendiz nota 10, é hora de partir para a ação. Logo, cadastre seu currículo em bancos de talentos na internet e entregue pessoalmente em estabelecimentos da sua região.

Pois, como vimos, todas as empresas podem e devem contratar aprendizes.

Esperamos que as dicas ajudem, boa sorte!

Clique para avaliar!

Publicidade